Fundamentais para a medida do tempo, as complicações astronômicas demonstram as observações de antigas civilizações e que ainda hoje dão ritmo à nossa existência.

Estações, equinócios, solstícios e signos do zodíaco indicados pelo ponteiro do sol

Engenhoso e preciso, o calendário sazonal múltiplo com escala astronômica do relógio Reference 57260, inserido perifericamente em um dos dois principais mostradores, comporta três informações distintas que podemos ler simultaneamente através do ponteiro central em ouro, identificável pelo seu contrapeso em forma de sol.

Completamente ao exterior, encontramos a exibição do calendário perpétuo dos meses do ano, com seus números de dias respectivos.

O círculo concêntrico seguinte exibe a divisão do ano em constelações do zodíaco, com indicação das datas dos equinócios da primavera e do outono, dois momentos nos quais as durações do dia e da noite são sensivelmente iguais, além das datas dos solstícios de verão e de inverno, quando o sol está no zênite ou em seu ponto mais baixo em relação ao equador celeste.

As quatro estações conexas – primavera, verão, outono e inverno – são exibidas mais no interior, sobre um círculo concêntrico complementar.

Os dois equinócios anuais acontecem em março e em setembro. No hemisfério norte, o equinócio de março, que chamamos de equinócio de primavera ou vernal, cai no dia 19, 20 ou 21 do mês. Em setembro, o dito equinócio de outono, cai no dia 22, 23 ou 24 do mês. O eixo da Terra está sempre inclinado em cerca de 23,5° em relação à eclíptica, o plano imaginário da rota da Terra em torno do sol. Fora os dias dos equinócios, o eixo da Terra se inclina levemente em direção ao sol, tanto no hemisfério sul quanto no norte. Nos equinócios, o eixo da Terra estando perpendicular aos raios do sol, o tamanho do dia e da noite são mais ou menos iguais, originando o termo equinócio.
Assim como os equinócios, os solstícios estão diretamente ligados às estações. Em várias culturas, os solstícios marcam o início ou o meio do inverno e do verão. No hemisfério norte, o dia do solstício de verão, entre os dias 20-21 de junho, é quando o sol está mais alto no céu, que é o dia mais longo do ano. Pelo contrário, o dia do solstício de inverno, entre o 21-22 de dezembro, é quando o sol está em seu ponto mais baixo, o dia mais curto do ano.

Mapa celeste (para a cidade do proprietário)

O mapa do céu noturno é uma complicação muito rara que só pode ser encontrada em poucos relógios, entre os mais sofisticados e os mais importantes do mundo. O disco azul giratório indica com precisão as constelações visíveis de noite, do local onde o proprietário reside, com os meses do ano inscritos em sua periferia. A rotação do mapa depende da hora sideral ou estelar que pode ser lida sobre uma escala exterior de 24 horas: escolhemos uma estrela e seguimos sua evolução sobre a escala das 24 horas para saber, a qualquer momento, a hora sideral atual.

Horas do tempo sideral Minutos do tempo sideral

O tempo sideral é geralmente utilizado por astrônomos e navegadores. A unidade é o dia sideral, que é o intervalo de tempo entre duas passagens consecutivas no ponto vernal no plano do meridiano. Como podemos medi-lo através da rotação da Terra, calculando a distância das estrelas, esse tempo é chamado de sideral ou estelar (sider significa estrela em latim). O dia sideral dura 23 horas, 56 minutos e 41 segundos, e o ano sideral conta um dia a mais que o ano solar. Utilizando as estrelas como ponto de referência, a hora sideral dá uma escala de tempo mais regular do que a escala que tem o sol como referência.
Logicamente, o mapa celeste é principalmente usado de noite, quando as constelações estão visíveis.
Por isso, as indicações que dominam este relógio são as horas contidas entre 20 horas e 4 horas (indicadas em vermelho).

Equação do tempo

O setor da equação do tempo indica a diferença em minutos entre a hora solar e a hora média convencional. Ele varia ao longo do ano com, pela média horária, um avanço máximo de 16 minutos e 33 segundos (por volta do dia 3 de novembro) e um atraso máximo de 14 minutos e 6 segundos (por volta do dia 12 de fevereiro). As horas solar e média só se correspondem 4 vezes ao ano. O movimento do ponteiro é comandado por uma came irregular dependente do mecanismo da hora sideral. A equação do tempo corresponde igualmente à estação indicada pelo ponteiro em forma de sol, ele próprio comandado pelo mecanismo da hora sideral. Historicamente, o conhecimento da equação do tempo era útil aos navegadores que observavam a altitude do sol em um determinado momento, relacionando-a com a hora de origem indicada em um mostrador convencional.

A origem da equação do tempo reside em duas razões principais. A primeira: o plano do equador terrestre é inclinado em relação ao plano da órbita terrestre. A segunda: a órbita da Terra ao redor do sol desenha uma elipse e não um círculo.

Horas do nascer do sol (para a cidade do proprietário) Horas do pôr do sol (para a cidade do proprietário) Duração do dia (para a cidade do proprietário) Duração da noite (para a cidade do proprietário)

Raros são os relógios que podem indicar as horas do nascer e do pôr do sol, assim como a extensão do dia e da noite na cidade de residência do proprietário ao longo do ano todo. Sobre o mostrador do relógio Reference 57260, as informações são exibidas em dois setores duplos específicos que dependem do mecanismo de calendário perpétuo. Esse último corrige as indicações de forma automática, durante o ano inteiro, fazendo com que as horas do nascer e do pôr do sol, assim como a extensão do dia e da noite, sejam adaptadas a cada um dos períodos de 24 horas. Cada setor comporta dois ponteiros em ouro colocados sobre o mesmo eixo. O ponteiro do nascer do sol indica a hora correspondente ao longo de todo o ano, entre 4 horas e um pouco antes das 8 horas em função da época. Em frente, o ponteiro do pôr do sol indica a hora adequada que varia de 16 horas a cerca de 19 horas e 30 minutos, igualmente em função do momento ao longo do ano. Os setores inferiores são reservados às extensões do dia e da noite: os ponteiros mostram os números apropriados, número de horas do dia a partir do nascer do sol e o número de horas da noite a partir do pôr do sol. Por exemplo, se o sol nasce às 4 horas e 30 minutos e se põe às 19 horas e 30 minutos, a extensão diurna exibida será de 15 horas e a extensão noturna de 9 horas (de 19 horas e 30 minutos às 4 horas e 30 minutos). O total sempre corresponde a um período de 24 horas.

A exibição das horas do pôr e do nascer do sol é comandada por cames ligados ao mecanismo do calendário perpétuo, e a correção é efetuada automaticamente todos os dias à meia-noite. A pedido do proprietário, os cames podem ser adaptados para qualquer localização do mundo e fabricados sob medida durante a construção do relógio. As horas indicadas estão a cerca de 5 minutos das verdadeiras horas do pôr e do nascer do sol, coincidindo com a percepção da parte superior do sol sobre o verdadeiro horizonte, no nível do mar. As verdadeiras horas do nascer e do pôr do sol são convencionalmente corrigidas, considerando a refração da atmosfera terrestre.

A versão de seu navegador está obsoleta e não permite desfrutar da experiência

Para visualizar este site, atualize seu navegador ou baixe um outro. Atualizar agora

×